TV Assembleia

Inicial | Notícias | Programação Diária | Fale Conosco
13-03-18 12:25

Ibope|CNI - Maioria dos eleitores prefere candidato que acredite em Deus e de origem pobre

Quanto menor o município de residência dos brasileiros, maior a predominância dos que concordam que é importante para um candidato à Presidência da República acreditar em Deus.
Pesquisa divulgada nesta terça-feira, 13, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e Confederação Nacional da Indústria (CNI) revela que praticamente oito em cada dez brasileiros (79%) concordam totalmente ou em parte que é importante que o candidato à Presidente da República nas eleições de 2018 acredite em Deus.

Esse percentual é menor entre os mais jovens (71%) e entre os que possuem maior grau de instrução (67%). O percentual é maior entre os brasileiros que possuem até a 4ª série do ensino fundamental (89%), os que vivem em cidades menores, com até 50 mil habitantes (84%) e os que residem no interior (82%). Apesar de os brasileiros concordarem totalmente ou em parte que é importante que os candidatos à Presidência da República acreditem em Deus, quatro em cada dez consideram nada importante que um candidato seja da sua religião. Esse fator também foi o menos apontado como muito importante entre as características pessoais dos postulantes ao cargo de presidente, com 29%.

Brasileiros de cidades menores valorizam mais fé em Deus dos candidatos

Quanto menor o município de residência dos brasileiros, maior a predominância dos que concordam que é importante para um candidato à Presidência da República acreditar em Deus. Entre os que residem em municípios com até 50 mil habitantes, 84% concordam totalmente ou em parte com a afirmativa, percentual que cai para 79% entre os que residem em municípios entre 50 mil até 500 mil habitantes e chega a 74% entre os que residem em municípios com mais de 500 mil habitantes.

Os brasileiros que moram em municípios menores também são os que mais valorizam que o candidato compartilhe da sua religião. O percentual dos que consideram nada importante que um candidato à Presidência da República seja da sua religião passa de 36% em municípios de até 50 mil habitantes para 44% em municípios com mais de 500 mil habitantes.

Classe social do candidato

De acordo com a pesquisa, 72% dos brasileiros consideram muito importante que um candidato seja uma pessoa simples, "gente como a gente", característica que ocupa a sétima colocação entre as onze características pessoais avaliadas. A preferência pela classe social dos candidatos reforça essa percepção. Mais da metade dos brasileiros (52%) concordam totalmente ou em parte que preferem votar em candidatos de família pobre, enquanto os que concordam totalmente ou em parte que preferem votar em candidatos de família rica somam 12%. 

Quanto menor a renda familiar dos eleitores, maior o percentual de concordância de que eles preferem votar em candidatos de família pobre. Entre os que possuem renda familiar de até um salário mínimo, 69% concordam totalmente ou em parte que preferem candidatos de famílias pobres, percentual que cai quanto maior a renda familiar chegando a 35% entre os que possuem renda familiar superior a cinco salários mínimos. O movimento contrário não ocorre com a preferência em votar em candidatos de família rica, isto é, os brasileiros com maior renda familiar não mostram maior grau de preferência por candidatos de família rica.

Brasileiros valorizam experiência na política

A pesquisa também revela que 62% dos eleitores consideram muito importante que um candidato à Presidência da República tenha experiência/trajetória na política. Reforçando essa percepção, praticamente três em cada quatro brasileiros (72%) concordam totalmente ou em parte que é importante que um candidato a presidente tenha experiência como prefeito ou como governador. Os brasileiros se dividem quanto à preferência em votar em um candidato de fora da política: 50% dos eleitores concordam totalmente ou em parte que preferem votar em um candidato que não seja “político profissional”, contra 45% que discordam totalmente ou em parte da afirmativa.


Edição Site TV Assembleia PI
Fonte: CNI/Ibope



mais noticias




R. Desembargador Mota, Sem Número - Monte Castelo - Teresina/PI (86) 3326 2300 e (86) 3326 2301
Copyright © 2013 - Assembleia Legislativa do Piauí