TV Assembleia

Fale Conosco | Notícias
07-07-20 11:08

Nordeste tem 43% das mortes por covid em 24h; Brasil registra 65 mil óbitos

A região Sudeste apareceu na segunda colocação, com 149 mortes
O Brasil registrou mais 656 mortes por coronavírus nas últimas 24 horas (de domingo para segunda-feira, 6), superando a marca de 65 mil vidas perdidas para a covid-19, revelam dados do consórcio de veículos de imprensa. Dos novos óbitos, 43% ocorreram na região Nordeste (284 mortes).

A região Sudeste apareceu na segunda colocação, com 149 mortes no período, representando 23% dos registros de óbitos. O Centro-Oeste, com 101 vítimas fatais, teve 15%. A região segue em ritmo de alta - foi a primeira vez que os números ficaram próximos ao do Sudeste, primeiro epicentro da doença no país.

Outros 11% (70 óbitos) ocorreram no Sul. A região com menos mortes divulgadas foi o Norte, com 52 vítimas e 8% do total do dia.
Segundo o consórcio de imprensa, o país tem 65.556 mortes no acumulado da pandemia. O número é maior que o anunciado mais cedo pelo Ministério da Saúde, que contabilizou 620 óbitos registrados de ontem para hoje, elevando o total a 65.487.

O acumulado de casos chegou a 1.623.284 com os 20.229 novos diagnósticos na conta do governo. Nos dados do consórcio, o número também é maior. Com 21.486 novos casos em 24 horas, o total chegou a 1.626.071.

O número de novas mortes nos dados do ministério foi menor que na segunda-feira passada, dia 29 de junho, quando a pasta anunciou 692 vítimas fatais. Os dados às segundas costumam ser mais baixos devido ao esquema de funcionamento da totalização dos números nos fins de semana.

Os dados do ministério mostraram ainda que 927.292 casos são considerados como recuperados, enquanto outros 630.505 estão em acompanhamento.

Cidades e serviços seguem planos de retomada

A partir desta segunda, dia 6, Fortaleza avança para a fase 3 do plano de retomada da economia. Com a reabertura de estabelecimentos, 13 setores estão autorizados a retomar 100% de trabalho presencial. Praias e calçadões também foram liberados para atividades físicas individuais.

No Rio de Janeiro, a prefeitura aplicou 132 multas a estabelecimentos comerciais e interditou cinco bares durante fiscalizações realizadas de quinta-feira (2) até a madrugada do domingo (5), o primeiro final de semana da reabertura destes locais na capital. Ao todo, a fiscalização inspecionou 180 pontos, entre bares, restaurantes e comércios.

Ainda na capital fluminense, o Detran retomou alguns serviços que haviam sido paralisados. Entre eles, primeira licença, troca de placa e comunicação de venda. Para evitar aglomerações, esses serviços serão feitos via drive-thru, ou seja, o motorista não precisa sair do carro.

Já o prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan (PSDB), publicou novas medidas de restrição depois que a cidade viu o número de casos de coronavírus aumentar. O texto determina iniciativas como o fechamento de parques e ampliação das limitações de funcionamento do comércio - supermercados, por exemplo, só podem receber 50% da capacidade.

Piauí também retoma algumas atividades

O Governo do Estado publicou o decreto relativo aos protocolos específicos com medidas de prevenção e controle da disseminação da Covid-19 para o setor automobilístico – segmento comércio e reparação de veículos automotores. É um dos setores autorizados a reabrir a partir desta segunda-feira (6), após mais de três meses fechado.

As empresas só poderão funcionar se atenderem às condições dos protocolos específicos e o protocolo geral de recomendações higiênicas e sanitárias. Para iniciar o funcionamento, o estabelecimento é obrigado a apresentar o Plano de Segurança Sanitária e Contenção da Covid-19. A apresentação se dará em meio virtual com a inserção do Plano de Segurança no site Pro Piauí, no link propiaui.pi.gov.br.

O setor terá que atender algumas exigências, como manter distância de dois metros entre os clientes e os funcionários, atendimento individual (sem acúmulo de pessoas da mesma da família para efetivar a comprar do veículo) e agendado previamente.

O test drive, se necessário, deverá ser realizado, preferencialmente, de forma individual. Caso vá um trabalhador junto, o profissional e o cliente deverão usar a máscara de proteção facial. Além disso, o veículo deve ser higienizado.

As empresas devem evitar aglomeração de clientes na sala de espera, retirar itens de fácil compartilhamento como revistas, jornais, brinquedos e jogos infantis. Evitar a distribuição de cartão de visita impresso, dando preferência ao virtual. Evitar eventos promocionais de venda de veículos que promova aglomerações de pessoas.

No segmento de manutenção e reparos de veículos, as empresas devem adotar agendamento de serviços pelo telefone ou aplicativos de mensagens instantâneas. Além disso, as informações e orçamentos também devem ser disponibilizados via telefone ou aplicativos de mensagens para diminuir o tempo de permanência dos proprietários no estabelecimento.

Orientar o trabalhador da oficina a evitar o compartilhamento de ferramentas, quando não for possível realizar a desinfecção antes do uso por cada trabalhador. Clientes e trabalhadores devem usar máscaras e demais EPIs necessários ao processo de trabalho e proteção à Covid-19.

Evitar servir café, chá ou outro tipo de bebida, além de balas e doces para degustação por meio do autosserviço, de modo a evitar a contaminação cruzada.

Confira todos os detalhes do decreto aqui.

Indústria de transformação de máquinas e equipamentos

Também foi publicado o decreto relativo aos protocolos específicos com medidas de prevenção e controle da disseminação da Covid-19 para a indústria de transformação de máquinas e equipamentos, que foi autorizada a reabrir a partir desta segunda-feira (6).

As empresas desse segmento só poderão funcionar se atenderem às condições dos protocolos específicos e o protocolo geral de recomendações higiênicas e sanitárias. Para iniciar o funcionamento, o estabelecimento é obrigado a apresentar o Plano de Segurança Sanitária e Contenção da Covid-19. A apresentação se dará em meio virtual com a inserção do Plano de Segurança no site Pro Piauí, no link propiaui.pi.gov.br.

As medidas a serem adotadas incluem controle de acesso às instalações da indústria, desde a entrada, com marcação/sinalização no chão, garantindo o distanciamento mínimo de 2 metros entre os trabalhadores; fornecer Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) adequados para a atividade exercida e em quantidade suficiente; reavaliar o acesso à indústria por meio de catracas com leitor digital.

Os trabalhadores devem manter os cabelos presos e não utilizar bijuterias, joias, anéis, relógios e outros adereços; a empresa deve reduzir o tempo de permanência de fornecedores e clientes no interior da fábrica, não permitir o compartilhamento de armário para guarda dos objetos pessoais.

Higienizar os banheiros, no mínimo, duas vezes ao dia, ou conforme necessidade. Para desinfecção do ambiente, principalmente, de áreas de alto fluxo de trabalhadores e clientes, borrifar hipoclorito de sódio de 0,1 a 0,5% nas paredes na altura de 1,80 m.

Só reunir grupos de, no máximo, 5 a 10 pessoas, a depender do tamanho da sala de reunião, sendo mantida porta ou janelas abertas para garantir a circulação do ar. Os treinamentos também devem ser preferencialmente on-line. Evitar deslocamentos e viagens de trabalho durante a pandemia.

Para as indústrias que fornecem transporte para os funcionários, devem ser instituídas medidas de prevenção, tais como: reduzir em 50% a capacidade de lotação de ônibus; disponibilizar proteção de acrílico ou acetado para isolamento individual do motorista.

Confira aqui o decreto sobre o protocolo da indústria de transformação de máquinas e equipamentos

Laboratórios clínicos e postos de coleta

O governo tornou público ainda o decreto relativo aos protocolos específicos com medidas de prevenção e controle da disseminação da Covid-19 para o setor de serviços de saúde – segmento laboratório e postos de coleta. É um dos autorizados a reabrir nesta segunda-feira (6), após mais de três meses fechado.

Os laboratórios só poderão funcionar se atenderem às condições dos protocolos específicos e o protocolo geral de recomendações higiênicas e sanitárias. Para iniciar o funcionamento, o estabelecimento é obrigado a apresentar o Plano de Segurança Sanitária e Contenção da Covid-19. A apresentação se dará em meio virtual com a inserção do Plano de Segurança no site Pro Piauí, link propiaui.pi.gov.br.

Entre as medidas a serem adotadas, estão agendar, quando possível, as coletas laboratoriais. Além disso, o laboratório deve primar pelo pelo atendimento domiciliar, especialmente de pacientes idosos, com comorbidades, ou suspeitos de infecção pela Covid-19.

Além disso, o espaço destinado à sala de espera dos pacientes deverá ser bem ventilado, permitindo que os pacientes em espera fiquem afastados, com fácil acesso a suprimentos de higiene das mãos e utilizando máscara. Outra orientação é que os pacientes devem comparecer preferencialmente desacompanhados.

Manter distância mínima de 2 metros entre as pessoas, não utilizar bebedouros coletivos com bico injetor, aumentar o distanciamento entre os atendentes no balcão e técnicos no laboratório, evitar o compartilhamento de materiais, como canetas, são outras ações a serem seguidas.

O profissional deve usar uniforme exclusivamente no local de trabalho e trocá-lo diariamente. Os responsáveis pela coleta devem lavar as mãos e usar álcool a 70% com frequência, usar gorro/touca descartável, óculos de proteção ou protetor facial, máscara cirúrgica descartável, avental impermeável de mangas longas, sapato fechado, etc.

Confira todos os detalhes do decreto aqui.

Indústria de transformação de materiais de construção

O Governo do Estado publicou o decreto relativo aos protocolos específicos com medidas de prevenção e controle da disseminação da Covid-19 para a indústria de transformação de materiais de construção, que foi autorizada a reabrir a partir desta segunda-feira (6).

As empresas só poderão funcionar se atenderem às condições dos protocolos específicos e o protocolo geral de recomendações higiênicas e sanitárias. Para iniciar o funcionamento, o estabelecimento é obrigado a apresentar o Plano de Segurança Sanitária e Contenção da Covid-19. A apresentação se dará em meio virtual por meio da inserção do Plano de Segurança no site Pro Piauí, no link propiaui.pi.gov.br.

Entre as medidas a serem adotadas, estão o controle do acesso às instalações da indústria, desde a entrada, com marcação/sinalização no chão para indicar percurso de circulação e posicionamento dos trabalhadores em seus setores produtivos, de modo a manter o distanciamento mínimo de 2 metros de distância entre os trabalhadores.

Nos ambientes em que não for possível o distanciamento mínimo de 2 metros deve-se, obrigatoriamente, colocar barreiras físicas entre os trabalhadores. As empresas precisam também disponibilizar lavatório/pia com água e sabão e/ou álcool a 70% em locais estratégicos.

É necessário também reavaliar o uso do ponto eletrônico. Caso a empresa opte pela utilização, deve envolver o leitor óptico com papel filme, higienizando os equipamentos com álcool a 70% após cada uso. O protocolo também orienta flexibilizar os horários de trabalho com a adoção de sistemas de escalas mínimas.

Outras medidas: recomendar aos fornecedores o envio de mostruário, orçamentos e notas fiscais por meio on-line; reduzir o tempo de permanência de fornecedores e clientes no interior da fábrica, garantindo o distanciamento mínimo de 2 metros entre as pessoas; fazer a utilização, se necessário, do uso de senhas ou outro sistema eficaz para evitar filas ou aglomeração de pessoas.

Confira todos os detalhes do decreto aqui.

Cadeia produtiva da construção civil

O Governo do Estado publicou o decreto relativo aos protocolos específicos com medidas de prevenção e controle da disseminação da Covid-19 para a cadeia produtiva da construção civil, que foi autorizada a reabrir a partir de segunda-feira, dia 6 de julho.

Para o iniciar o funcionamento, o estabelecimento é obrigado a apresentar o Plano de Segurança Sanitária e Contenção da Covid-19, na modalidade simplificada ou ampliada conforme a dimensão do estabelecimento. A apresentação se dará em meio virtual através da inserção do Plano de Segurança no site PRO PIAUÍ, link propiaui.pi.gov.br.

No protocolo da indústria da construção civil, as ações a serem adotadas pelas empresas incluem, entre outras, sinalização  na entrada da obra e em pontos estratégicos para manter as pessoas distanciadas; disponibilização lavatório/pia com água e sabão ou sabonete líquido, e/ou álcool a 70% na entrada, no refeitório, nos vestuários e nos alojamentos; restringir a entrada e circulação de pessoas que não trabalham no canteiro de obras e, se necessário, diminuir seu tempo de permanência; redefinição no uso dos elevadores para evitar aglomeração.

No comércio atacadista da construção civil, os empresários devem dar preferência às vendas on-line através de mostruários e catálogos eletrônicos; agendar o atendimento presencial a clientes; disponibilizar tapete sanitizante na entrada do depósito de mercadorias.

Ainda nesse ramo, as empresas precisam controlar o acesso às instalações, desde a entrada, com marcações no chão; fornecer Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) adequados para a atividade exercida e em quantidade suficiente e orientar aos clientes a evitar aglomerações e longa permanência na empresa, entre outros protocolos.

O comércio varejista da construção civil deve evitar contato físico com clientes e outros funcionários; reforçar a higienização e desinfecção das superfícies, ambiente, equipamentos e instrumentos na área de atendimento; instalação barreiras nos caixas a fim de reduzir o contato com o cliente;  organizar as filas nos balcões de caixa de modo a manter distância mínima de segurança de 2 metros entre os clientes, entre outras medidas.

Confira aqui o decreto.

Com informações Portal UOL
TV Assembleia / CCom


Imagem: TNH1



mais noticias




R. Desembargador Mota, Sem Número - Monte Castelo - Teresina/PI (86) 3326 2300 e (86) 3326 2301
Copyright © 2013 - Assembleia Legislativa do Piauí