Veja trajetória, ações, legado e homenagens ao ex-prefeito Firmino Filho
07/04/2021 14:06

Um dos maiores líderes e uma das figuras mais emblemáticas da política do Piauí, especialmente de Teresina, o ex-prefeito Firmino Filho, ícone do PSDB, morreu na tarde dessa terça-feira (06). Uma de suas marcas pessoais era o seu jeito introspectivo, aparentemente paciente, mesmo diante de críticas e desafios. Considerado um homem extremamente inteligente, soube navegar na política como poucos e deixa um legado administrativo importante na capital piauiense e perante o seu povo.

Veja aqui a sua trajetória:

Firmino da Silveira Soares Filho nasceu em Teresina no dia 16 de dezembro de 1963. Formou-se em economia na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e cursou mestrado na mesma área na Universidade de Illinois nos Estados Unidos (EUA). Casou-se com Lucy de Farias Soares com quem tem três filhos, Bruno Silveira Soares, Bárbara Soares e Cristina Soares. Iniciou sua vida política em 1993 quando assumiu o cargo de secretário de Finanças de Teresina, na gestão do prefeito Raimundo Wall Ferraz, do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB). Firmino Filho faleceu na tarde desta terça-feira, 6. Ele foi encontrado morto em um prédio na zona Leste de Teresina.

Com a morte de Wall Ferraz em pleno exercício do mandato, o vice-prefeito Francisco Gerardo assumiu o cargo e indicou Firmino Filho para sucedê-lo na prefeitura, já que não era permitida reeleição. Filiado ao Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), nas eleições municipais de 1996 disputou pela primeira vez o cargo de prefeito de Teresina na legenda do partido. Vitorioso, foi o mais novo prefeito eleito do município.

Durante seu mandato, direcionou seu trabalho ao atendimento à infância e à adolescência, o que lhe rendeu o prêmio Prefeito Criança, concedido pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e pela Fundação Abrinq. Também recebeu a comenda do Centro de Assentamentos Urbanos da ONU pelo projeto Vila-Bairro, programa de intervenção urbana implantado em Teresina, cujo objetivo era o de consolidar as vilas existentes em bairros com padrão mínimo de urbanização, orientados para o desenvolvimento socioeconômico.

A experiência do programa teve reconhecimento internacional e foi apresentada em conferências da entidade na China e nos Emirados Árabes. No pleito de outubro de 2000, concorreu à reeleição na legenda do PSDB. Foi eleito no primeiro turno com 60,89% dos votos válidos. Deixou o cargo em dezembro de 2004.

Em agosto de 2005, tornou-se o presidente da executiva regional do PSDB no Piauí. No pleito de outubro do ano seguinte, concorreu ao cargo de governador do Piauí por essa agremiação, mas não obteve sucesso e terminou a disputa em terceiro lugar. Nas eleições municipais de 2008, candidatou-se a vereador de Teresina na legenda do PSDB.

Eleito, foi o candidato mais votado. Em dezembro, aceitou o convite feito pelo então prefeito Sílvio Mendes (PSDB) para presidir a Fundação Municipal de Saúde (FMS). Tomou posse do seu mandato na Câmara Municipal em janeiro do ano seguinte, mas logo se licenciou para assumir a FMS.