São alarmantes os índices de gravidez na adolescência no Piauí, afirma especialista
14/04/2019 10:49

A gravidez na adolescência pode ter diversas causas. Algumas meninas relatam, inclusive, que a gravidez foi desejada. Entretanto, independentemente das causas e desejos de cada adolescente, fato é que a gravidez precoce é um problema de saúde pública, uma vez que causa riscos à saúde da mãe do bebê e tem impacto socioeconômico, pois muitas das grávidas abandonam os estudos e apresentam maior dificuldade para conseguir emprego.

Vale também a importância indiscutível do pré-natal para evitar complicações durante a gestação e o parto. A gravidez na adolescência ocorre entre 12 e 19 anos. A vice-presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Criança e Adolescente (OAB-PI), Vera Lúcia, aborda no programa Palavra Aberta, da TV Assembleia, pontos importantes sobre o assunto, numa entrevista a Gérson Rezende.

Segundo Vera Lúcia, gravidez na adolescência não ocorre somente em classes menos favorecidas. Isso também se verifica em classes sociais mais abastadas, mas não se tem um estudo para medir em estatísticas essas situações na classe média alta, pela dificuldade de acesso a dados nos consultórios particulares.
"Mas nas classes menos favorecidas, essa situação é alarmante", afirma a presidente da comissão. De acordo com ela, na gravidez na adolescência na classe média baixa ou menos favorecidas, os índices chegam a até 70% em Teresina entre jovens com menos de 14 anos.




Fonte: TV Assembleia
Programa - Palavra Aberta/TV Assembleia - Gérson Rezende
Imagem: TV Assembleia
RUA DESEMBARGADOR MOTA, S/N - BAIRRO MONTE CASTELO/TERESINA-PI / CEP 64016-270 - TELEFONE (86) 3326 2300. Copyright © 2019 - TV Assembleia - Assembleia Legislativa do Piauí